Deus que tudo vê!

Era um fim de tarde como outro qualquer; fim de expediente na gráfica onde trabalho e todos os funcionários se preparavam para ir embora. Eu fechei as janelas, a porta da frente e fiquei aguardando minha amiga encerrar suas tarefas no computador da sua mesa para sairmos juntas. De repente, comecei a ouvir alguns estalidos no teto da gráfica. Os sons iam de um lado ao outro, então, olhei para cima acompanhando o barulho. O teto continuava normal. Não havia nele nem um trinco. Somente eu ouvia! E, em uma fração de segundo, vi o reboco se desprendendo do teto sobre mim como uma chuva, mas os pedaços passavam por mim e não me tocavam. Parecia um filme! Recebi dentro de mim uma voz de comando: Corra!

Sem tempo para pensar, obedeci ao comando e saí pela porta que havia bem ao meu lado. Um segundo, e o teto veio abaixo. Discerni, posteriormente, que Deus havia me dado uma visão aberta, mostrando-me, segundos antes, o que estava por acontecer. O pedaço que caiu exatamente no lugar onde eu estava aguardando minha amiga foi tão grande que quebrou o armário de madeira no qual eu me apoiava. Com a repercussão do barulho, os funcionários correram até o local achando que um carro desgovernado havia invadido o escritório da gráfica.

Em meio à poeira dos escombros, minha amiga estava paralisada, em estado de choque olhando tudo ao redor, vendo o teto desabando. Quase todo o reboco do teto caiu, somente os lugares onde estavam os computadores, impressoras e mesas foram preservados intactos. Aleluia!

Naquele instante, vi o livramento que Deus havia nos dado. O lugar onde eu estava foi o mais atingido. Todos viram que eu poderia ter sofrido lesões graves, que até poderiam ter me levado à morte. Mas a mão do bom Pastor foi o meu abrigo! Deus me livrou do mal. Em Isaías 43.2, está escrito: “Quando passares pelas águas, eu serei contigo; quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti.”

O meu Deus não dormita e nem dorme. Ele guarda a minha entrada e a minha saída (Salmos 121). Alegro-me por tê-lo encontrado ainda jovem e por ter feito a escolha de segui-lo todos os dias da minha vida. Não tenho medo da morte, pois ela já foi vencida pelo meu Salvador, Jesus Cristo! Ele tem me livrado das aflições deste mundo. Ele é o Deus que tudo vê!

Marciana Souza