Educando filhos para a justiça

Quando os perversos se multiplicam, multiplicam-se as transgressões, mas os justos verão a ruína deles. Corrige o teu filho, e te dará descanso, dará delícias à tua alma. (Provérbios 29.16.)

Como é que o perverso se multiplica? Ele se multiplica gerando (educando) outro perverso e, assim, sucessivamente até a terceira e quarta geração. Essas gerações são educadas longe do conhecimento de Deus.

Como foi na época de Noé, assim está sendo em nossos dias. Estamos vendo as crianças sendo escancaradamente educadas para a própria destruição. É importante entender que o Evangelho não é um freio moral, mas sim o poder de Deus para a Salvação de todo aquele que crê (Romanos 1.16).

No Salmo 127.4, lemos: “Como flechas nas mãos do guerreiro, assim os filhos da mocidade”.

Flechas não são como bumerangues, que, quando atirados, voltam para as nossas mãos. Quem lança uma flecha tem um alvo definido e se esforça para atingi-lo. Nós somos os guerreiros e os nossos filhos são as flechas em nossas mãos. Somos nós quem escolhemos o alvo para onde os lançaremos: o mundo ou Deus! Não há como fugir disto: nós, pais, educaremos nossos filhos para Deus ou para o mundo. Nossas atitudes e nosso comportamento são como o arco que impulsiona as flechas. Os filhos não aprendem unicamente ouvindo, mas principalmente observando a nossa maneira de proceder diante das dificuldades surgidas. Então, o que estamos fazendo? Educando-os para Deus, para a sua justiça e vida eterna ou para o mundo, com o seu pecado e morte?

Se ensinarmos os nossos filhos, desde crianças, no caminho da justiça, ou seja, no temor de Deus, ensinando-lhes o caminho da obediência, eles não se desviarão dele nem quando forem velhos (Provérbios 22.6).

Precisamos ajudar os nossos filhos na prática da obediência, ensinando-lhes a nos honrar, para que a promessa de Deus que está em Efésios 6.1-3 se cumpra na vida de cada um: “Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor, pois isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa), para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra.”

Meus amados irmãos e irmãs, vamos tomar esta importante decisão em nosso íntimo: educar os nossos filhos para que sejam geração bendita do Senhor e não uma geração perversa.

Com amor, em Cristo,

Jane Messa